quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Entendendo a Letra de: Papo de Jacaré.


Existem cantores, letristas e derivados que conquistas o coração (e os ouvidos) da galera com suas belas canções/textos. Alguns com mensagens bem diretas e fáceis de serem compreendidas e outras que são mestres da abstração, com linguagem bem diferente e viajando alto na maionese.

Vamos puxar um pouco para as letras de abstração. Nelas o autor tenta ser rico na arte de usar bem as palavras e te passar a mensagem de um jeito que as pessaos conseguem ver várias idéias num único só lugar. Nas letras viajadas, o autor precisa escrever coisas estranhas que somadas tenho um sentido aparente. Mas também posso resumir esse tipo de letras como a simples arte do ser humano querer se passar (meu modo revoltado falando agora, heh.).

Mas oque a tosca bandinha de "One Hit Wonder", P.O.Box, tem haver com letras ricas e de abstração? Bem jovem padawan, algumas músicas são tão toscas e estranhas que conseguem ser mais loucas que as canções do Zé Ramalho ou dos Beatles na sua época Yoko Ono, hehe.
No caso, essa "banda" tem uma "música" que demonstra muito bem essas loucuras. E já que ninguém é obrigado ter sentido aguçado para as letras, vou analisar ela pra vocês, heh.
Então vamos lá!

"To viajando na onda dessa menina
Que da aula de inglês
Toma vinho português"

Aqui percebemos que o cara tá muito doido por uma mulher aê. Aparentemente ela trabalha dando aulas de inglês e gosta de tomar vinho português. Não se sabe se esse gostar da bebida é por motivos de vício ou um meio de escape para o baixo salário que a mulher ganha. No decorrer da canção vamos saber (ou não, heh.)

"E vive rindo da minha ignorância
Mas a minha tolerância vai fundir a sua cuca"

Nesse trecho percebemos que a mulher é uma tremenda de uma Filha da Pata! Não se pode humilhar ninguém por falta de conhecimento! (Ou então o cara merecia mesmo, afinal provavelmente foi ele que escreveu essa pérola noventista, heh.). Percebemos tambpem que o cara é muito tolerânte em relação a ser chamada de burro. Mas fica muito confuso se ele vai fundir a cabeça da professora de inglês, da minha (Monge) ou da sua (leitor). É.....esse cara merece receber umas risadas mesmo.

"Vou lhe bater uma real
Vou dizer que sou o tal
Levar um papo no café
É papo de jacaré"

Aqui olhamos que o cara quer demonstrar que consegue ser interessante, mesmo tendo o QI baixo. Apesar de saber que nessa tal aventura social com a professora, poder sentir o clima nada amistoso ou até mesmo falso com esse "papo de Jacaré". Ainda acho que ele tá xavecando a professorinha e gosta é sadomasoquista que na cama gosta de ser chamado de Burro.

"Mas ve se fala por favor a minha língua
Que já tem até uma ingua
Por causa do seu inglês"

O rapaz não consegue dialogar na língua do Tio Sam, então prefere trocar uma idéia com a mulher falando o bom e estranho português mesmo. Nossa língua tem seus méritos, mas as vezes consegue ser uma arma cruel. Por exemplo quando alguém faz uma rima usando a tãooooooooo usada (......NOT!) palavra "ingua". Cara, na maior............que diabos é isso?!
Esse trecho é o maior mistério da canção. Nem meu grupo de pesquisas, formado por pessoas isntruidas nas melhores faculdades do mundo (........NOT!) conseguem entender esse trecho. Bem.......foda-se!

"Eu não sei falar também não sei entender
So sei que eu sou um suburbano sou latino americano"

Essa parte demonstra o preconceito que as pessoas tem com os cidadões da América do Sul. Um forte pensamento Estadunidense que está impregnado na cabeça de muitas pessoas graças a antiga Doutrina Monroe (Agora fui pegar bem fundo em, heh.). Também percebemos que o rapaz faz uma homenagem ao nosso pokémon Shiny Belchior. Afinal, o cara usar "latino americano" na música, tem que ser por esse propósito mesmo, heh.

"Sei quem é fulano mas não sei quem é ciclano
E o seu inglês fica pegando no meu pé"

Nosso destemido desprovido de inteligência fala que conhece algumas pessoas e não conhece outras (provavelmente ciganos [praça é nossa song!]), demonstrando que ele é só uma pessoa normal mesmo. E ele fica muito irritado com o inglês usado pela professora. Talvez seja inveja...

"Diz que vai me ensinar (então diga como é)
Diz que vai me ensinar (então diga como é)
Diz que vai me ensinar (então diga como é)
Diz que vai me ensinar (então diga como é)"

O rapaz indignado! Está irritado com toda essa coisa do mercado de trabalho atual precisar de inglês fluente, diploma e etc. Aqui analisamos a fúria dos cidadões brasileiros com o sistema opressor! E sim, o cara quer ver se o inglês da professorinha é bom, heh.

"I love o su me cir francês
O meu chuchu isso é francês e não inglês."

E aqui vemos o final da confusão. No caso percebemos a falta de instrução da professora. Ou seja, uma forte crítica ao fraco sistema educacional brasileiro onde os professores não estão preparados. Na verdade o burro não é o rapaz, ele só não tem culpa da fraca instrução de seus mestres. Uma obra prima de crítica social e educacional essa canção!

Crítica do filme: Um dia de cão.


Tá certo que esse filme eu não assisti no cinema (até porque eu nem nasci na época de sua estréia), mas ele merece ser comentado. Tinha conseguido esse filme fazia algumas semanas mas estava faltando tempo para assistir. Hoje criei coragem e digo uma coisa: Filme muito foda!! É legal ver Al Pacino nos seus bons tempos, heh.

A história do filme? Dois caras (três, mas o terceiro gelou e fugiu do trabalho) vão fazer um assalto a um banco. Mas as pessoas fora do banco percebem que está acontecendo um assalto, chamando a policia que cerca o prédio. E assim é o plot do filme: mostrando as coisas se desenrolando por dentro do banco.

Eu sinceramente adoro esse tipo de filmes que foca num só cenário, por exemplo o Jogos Mortais I (que pra mim é o único filme da série) e Menina má.com. Acho legal a evolução das sensações, sentimentos e todo o stress nesse único local. Você acaba até assimilando todo ele, se acostumando com o espaço. E isso é bom para a arte visual que é o cinema.

Uma outra coisa legal no filme é o personagem do Al Pacino (Sonny Wortzik) interagindo com os reféns, com a polícia e com os curiosos. É divertido ver ele fazendo graça para o público, que assisti tudo aquilo de camarote como se estivesse num filme. Cuidando bem dos reféns, não querendo causar nenhum problema com eles. Mas o estranho é que com os desconhecidos ele parece tratar bem, mas com seus familiares tratar com fúria. Acho que por causa das crises que o personagem vivenciou antes do assalto.

É engraçado ver que os "Corleones" estão trabalhando junto nesse filme. É sim! O "Fredo" e o
"Michael", heh. É, o segundo assaltante é o John Cazale.

Outra coisa engraçada são os policiais que estão cercando o Banco. Tem uns bem estilo "Vice City", heh. Mas isso é sinal dos tempos. A moda muda mais que a nossa tecnologia atual, heh.

O final do filme me deixou bem surpreso, heh. A polícia fez uma ação estilo Jack Bauer! Mas não vou contar como foi pra não dar spoiler chato, heh.

Enfim, o filme é muito emocionante, divertido e consegue te prender durante as 2 horas de duração.
Minha nota? Tomou um 10!

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Crítica do filme: 9 - A Salvação.


Hoje de tarde fui acompanhar um filme que sempre me deixava bem curioso e cativado com o visual que era mostrado nos traillers. Esse estioo bem gótico do Tim Burton me agrada muito (Se bem que esse filme não é dele, e sim do diretor Shane Acker).

História do filme? Se passa mundo pós-apocaliptico, depois da guerra entre os humanos e as máquinas. Somente 9 seres estranhas sobreviveram, que são uma espécie de bonecos de panos mecânicos, mas isso é um mistério que será revelado no final do filme. Eles se escondem para tentar esperar a "reconstrução do mundo" e fugir das máquinas que ainda existem. Mas com um erro cometido pelo personagem principal (o 9, dublado por Elijah Wood), a máquina suprema renasce para infernizar a vida dos "sobreviventes".

Primeiro de tudo, quero falar sobre o visual do filme. Como já disse, sou fã desse climão gótico da "escola Tim Burton". E o filme tem seu dedo. O design dos personagens, dos inimigos e do cenário, tudo lembra um pouco do nosso querido pai de Edward mãos de tesoura.

Outro ponto positivo no filme são os personagens. Cada um deles tem suas características marcantes e seu carisma. Só achei que isso não foi tão trabalhado quanto devia. Acho que devia focar um pouco mais na individualidade de cada um dos 9 personagens.

As cenas de ação também são bem divertidas, aliás, uma das cenas mais legais é quando quase todos os personagens enfrentam um tipo de ave robôtica. É uma cena bem movimentada, divertida e que demonstra um pouco de como alguns personagens se comportam em momentos de tensão.

Apesar disso, o filme não conseguiu me conquistar. Quando assistia os traillers, eu ficava maravilhado com as possibilidades do filme. Mas não correspondeu as minhas expectativas. Acho que nem se não tivesse o hype em cima desse filme, eu ainda não iria gostar. O filme não conseguiu me ganhar...

Nota para 9? Acho que 6. Esperava dar pelo menos um 8 pra ele, mas...

Crítica do filme: Bastardos Inglórios.


Sempre sonhei em assistir algum filme do Quentin Tarantino no cinema. Falo isso porque na época de Kill Bill eu ainda não era o cinéfilo que sou hoje, então assisti o filme sacando como ele era legal mas sem saber pra quem eu dava o crédito da diversão que era a película. E quando vi notícias sobre as gravações do Bastardos Inglórios, me animei em saber que iria realizar essa vontade.

Cara...Quentin Tarantino conseguiu fazer um filmão! Um dos melhores que assisti esse ano! Adianto logo a note que dou para ele: 10!

A história do filme? São meio que duas histórias paralelas que se cruzam no final. Uma é a do grupo de soldados americanos (e dois alemães desertores) que estão na Europa para ser uma espécie de guerrilha contra os nazistas, e eles são conhecidos por Bastardos Inglórios. A outra história é a da judia Shosanna (Mélanie Laurent), mostrando como ela sobreviveu a um ataque nazista e dela tentando tocar a vida, até que aparece a oportunidade para se vingar dos assassinos de sua familia.

Não vou tentar falar muito sobre a história do filme pois não quero contar spoiler. Esse é um daqueles filmes que você precisa assistir pra ter as surpresas por si só, e não por um cara que escreveu pra você mostrando uma opinião, heh.

O filme cheira as produções "Tarantinescas"! Tem todas as suas características: Longos diálogos fodas, Muita violência/sangue, cenas com os lindos pés das atrizes, personagens carismáticos, tomadas sem nenhum ou com poucos cortes, trilha sonora fodástica e grandes sacadas nas apresentações de personagens.

Por falar em apresentações de personagens, Tarantino consegue demonstrar de um modo muito divertido um dos personagens mais divertidos do filme: o Sgt. Hugo Stiglitz (Til Schweiger).

O Sgt. é um alemão que entrou no exército nazista e sua primeira ação foi matar 13 dos altos escalões da SS (claro que ele fez isso por si e não a pedidos dos Nazis, heh.). Suas cenas são sempre bem divertidas, você vai ver!

Outro personagem que foi bem apresentado é o Sgt. Donny Donowitz (Eli Roth).

Ele é conhecido pelos nazistas como o "Urso judeu". E também é conhecido por esmagar os crânios dos Nazis com um bastão de baseball. A sua primeira cena, de apresentação, é muito legal, você fica até com um certo medo dele, heh.

Mas não podemos esquecer do lider dos Bastardos, que é Lt. Aldo Raine (Brad Pitt).
Brad Pitt está muito divertido nesse papel. Você consegue ver que ele tem autoridade mas também que é meio estranho, tem até um certo ar Texano, apesar de Raine não ser de lá, heh.

Aliás, o grupo dos Bastardos é um caso a parte. Tem seus participantes B, que mesmo não tendo uma participação muito grande ou importante, conseguem ser igualmente divertidos e fundamentais para a obra completa que é esse filme.

Mas o melhor de todos os personagens, sem sombra de dúvida, é o colonel Nazista Hans Landa (Christoph Waltz).
Sem sombra de dúvida: Esse é o MELHOR personagem dos filmes do Tarantino. Vou além: Melhor personagem nazista de todos os filmes! Digo ainda mais: Pode ser um dos personagens mais fodas do cinema moderno!!
Ele consegue ser cativante, malvado, inteligente, observador, requintado e várias outras qualidades, tudo ao mesmo tempo. Além de quase todas as melhores cenas ele participa.
A maioria de suas cenas são aquelas tão adorados por Tarantino: os longos diálogos fodas. No começo do filme somos presenteados com uma delas por sinal. Nela conhecemos bem o personagem Hans Landa.

Quando o filme acabou, senti uma grande felicidade por estar assistindo tudo aquilo numa grande tela de cinema. Finalmente consegui assistir um filme de Quentin Tarantino. E mais: consegui assistir um dos seus melhores filmes!! (Só não bate Cães de Aluguel, esse é meu S2, heh.).

PS: Se um dia você for caçar Nazistas, trate de aprender italiano. Você vai entender...hehe.

PS2: Nunca peça 3 doses de alguma bebida com os Nazis por perto. Isso pode ser fatal para sua tão querida tropa.

PS3: Vou comprar o meu! heh.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Crítica do filme: Gamer.


Hoje fui matar a saudade do cinema. Fazia um tempinho que não ia por causa dos malditos seminários e provas do meu curso (quem disse que História é um curso fácil e leve, é um tremendo de um idiota...).

Dei sorte lá na sessão: sala vazia! Só tinha umas 6 pessoas, no máximo! Mas até dá pra entender, afinal o filme que fui assistir (Gamer) pegou censura 18+ e tinha como concorrentes o lindo "Up" e o nacional supervalorizado"Os Normais 2". Mas a idéia inicial era ir assistir o filme "Salve Geral", mas os horários dele pra hoje são péssimos (Cinema Severiano Ribeiro do North Shopping deixa a desejar um pouco...).

Enfim, falando um pouco sobre a história de "Gamer": Num futuro não tão distante do nosso tempo atual, um grande empresário visionário (Que é o ator que faz o Dexter) criou dois jogos onde os jogadores controlam pessoas de verdades. Um deles é o "Sociaty", que é uma forte alusão ao Second Life. O outro é o "Slayers", que é uma espécie de Gears of War mas com pessoas de verdade na linha de tiro (no caso, ex-condenados). Então a história do filme se desenrola quando um grupo de hackers politicados tentam aproveitar do grande campeão do Slayer (o Leônidas, no caso, heh.) para mostrar todos os podres por trás da empresa que criou esses jogos.

O filme pode ser meio confuso para os "dummies" no começo, mas tem umas sacadas visuais bem legais, mas admito que as vezes fica meio confuso mesmo. Mas nada que um pouco de atenção não resolva para entender as coisas.

Um dos pontos fortes do filme são as cenas de ação. Os tiro-teios são frenéticos, explosivos e bem sangrentos. É um banho de sangue e tripas na telona do cinema. Senti assistindo uma partida de Gears of War, heh. As cenas de pancadaria também são muito boas. Você consegue sentir a violência das pancadas tanto por causa da boa movimentação dos atores quanto a sonoplastia que ajuda muito. É quase uma mistura de Mortal Kombat com UFC Pride.

Uma coisa que me chamou muita atenção também são as cenas do jogo "Sociaty". Eles lembram muito mesmo o Second Life! Engraçado que dá pra entender como o ser humano é libertinoso e doentio por natureza nessas cenas. Os jogadores aproveitam que estão na segurança de suas casas e no comando de outras pessoas, assim fazendo todas suas taras e vontades. Você analisando bem isso, percebe que é verdade, pois em MMOs, Chats e etc percebemos essas loucuras.

O filme também conta com a participação do foda John Leguizamo. Aparece como um "amigo" do Gerard Butler. Pena que seu papel é muito curto, só aparece em 3 leves cenas. Outra participação foda (e agora em destaque) é o eterno "Latrell"/Pai do Chris: Terry Crews. Cara, o personagem dele nesse filme dá medo!! O "Latrell" sempre foi engraçado cantando as músicas e tal, mas nesse filme ele canta pra deixar o "Leônidas" tenso, heh. E antes que eu me esqueça, o "Latrell" e o "Leônidas" tem umas cenas de porrada FODA!

E , pra mim, o maior destaque desse filme é o Michael C. Hall (o Dexter). Cara, ele é muito bom! Apesar de certos momentos você olhar pra ele e pensar:"Porra, é o Dexter!!", ele consegue demonstrar uma personalidade bem louca e diferente nesse filme.

Bem, o filme não é o melhor filme de ação que já vi, mas conseguiu me divertir, apesar do final meio "whatever". Valeu ter pago 5 reais pra assistir ele, heh.
Nota? Acho que.............7 tá bem, na média.

PS: Cara, eu ri muito na hora dos traillers antes do filme. Tava mostrando o "Lua Nova", aê depois começou a fazer o maior jaba sobre uma revista do filme que "está nas melhores bancas perto de você", hehe. Poxa, esse filme tá pior que o High School Music em relação a marketing!

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Entrar na nova geração...mas com qual?


Final desse mês vou receber uma certa quantia (que não vou revelar porque não quero cobradores no meu pé, heh.) que vou poder fazer um monte de nerdices para minha pessoa. Vou aproveitar e comprar várias coisas que o povo aqui de casa não ajudaria a comprar (por exemplo: minha querida e saudável Guitarra) ou que é meio caro por causa dos malditos fretes (tipo as camisetas legais da Nerdstore e outras coisinhas no submarino).

Mas uma das maiores vontades que eu tenho, sem dúvida, é ter um video-game da nova geração. Lembro que eu estava acompanhando as geração da época Snes e Playstation 1. A Playstation 2 não deu pra acompanhar infelizmente, só jogando na casa dos amigos e etc, mas não é a mesma coisa né? Isso me deixou meio frustado, ainda mais com a chegada da nova geração arrasando quarteirão (e bolso também). Então botei na cabeça que preciso ter um "next gen".

Agora, queridos leitores, chegamos a questão crucial: qual comprar? Bem....vamos tirar o Nintendo Wii da briga. Não que ele não seja legal, mas não quero primeiro um video-game "Hardcore" pra depois ter o meu casual, heh.

Tava pesquisando no site da gamespot sobre o leque de games do X-box 360 e do Ps3. O pior que quase todos os jogos que tem para um, tem para o outro. Tirando algumas certas exclusividades de cada um, tipo Metal Gear 4 ( S2 ), Halo (nhé...) e God of War ( S2²).

Outro problema é o destravamento. No Ps3 isso ainda nem é possível. No X-box 360 ainda dá pra fazer, mas tem o risco de ser banido da Live, e a coisa mais divertida do mundo deve ser jogar na Live (outro ponto positivo para o X-box 360).

E ainda tem o Nintendo Ds querendo entrar na briga também. Meus amigos nintendistas e usuários do Ds, vivem tentando me levar pro lado daquele Italiano Bigodudo, e pior que também penso em comprar um Ds, heh. Cara, são muitas duvidas....

Se eu tivesse minha renda mensal, nem estaria tão preocupado. Acabaria comprando todos mesmo, heh. Mas como essa grana vai toda que vou receber vai ser uma das poucas que vou ter atualmente, preciso saber bem a escolha...

Bem, vou até citar a listinha de coisas pra terem uma idéia dos gastos que vou ter e até pra lembrar das coisas por mim, heh.

- Video-Game (Ps3, X-box 360, Nintendo Ds...)
- Camisas da Nerdstore (A do "Acre você acredita" e o Protocolo Bluehand)
- Alguns livros no Submarino (a coleção das eras do Eric Hobsbawm e as do Bernard Cornwell...)
- Alguns Dvds (tipo a trilogia Poderoso Chefão, Indiana Jones e De volta para o futuro)
- Guitarra mais o amplificador
- Câmera fotográfica

Bem, é mais ou menos isso, heh. Espero não acabar esquecendo de nada.

terça-feira, 2 de junho de 2009

Agora eu caí pra trás!

Depois dessa, descobri que preciso urgentemente de um X-box 360!


sexta-feira, 22 de maio de 2009

Filmes que assisti nessas férias.

Aproveitei minhas férias pra fazer uma coisa que tenho tesão de fazer mas tava sem tempo: Ir para o cinema. Mas fui sozinho mesmo em quase todas as sessões, porque a vontade de ir aparecia do nada. Até porque, não é tão caro passar umas 2 ou 3 horas pra fazer esse programinha. Com 7,50 dá pra assistir o filme e pagar o estacionamento, heh.
Mas enfim, vamos tentar fazer algo construtivo por aqui e fazer uma leve crítica sobre os filmes. Mas quero logo dizer que a melhor crítica de todas é a sua, ou seja: Assista os filmes antes de falar coisas! Tem muita gente que nem vê e já vai difamando por ter ouvido coisas do tipo. É quase aquele "velho deitado": "Não se julga um livro pela capa."

X-men Origens: Wolverine.

Cara, sério, fui assistir esse filme mesmo por ser uma "mulher de malandro" da Marvel, heh.
Quando lia sobre notícias do dito cujo, tinha certeza que seria uma bomba. E sabe oque é pior? Eu estava certo. Esse filme é muito fraquinho! É aquele típico filme pra agradar a garotada mesmo. Com um monte de lutas sem sentido e uns show off no estilo Matrix de outros mutunas.

A história? Bem, sendo bem sucinto: Mostra como Logan conseguiu o esqueleto de adamantium, como ele conseguiu o nome Wolverine e de como ele perdeu a memória (essa foi a cena mais estranha de todas!).

A coisa que me irritou mais nesse filme não foi nem a tosca aparição forçada do Gambit, das lutas sem sentido e contexto (como a luta contra o Blob) ou até mesmo o fato de não ter sangue no filme (isso dá pra relevar até, mesmo sendo o filme de um cara que tem praticamente seis facões afiadíssimos no corpo.). Não, isso não me irritou muito. O fato que me irritou foi a presença do Baraka! Sim amigos leitores! Balaka saiu do Mortal Kombat para participar do filme do X-men. E com o nickname de "Deadpool". Poxa, estragaram o Deadpool!

Enfim, o filme dá até pra se divertir se você estiver de bem com a vida, heh.
Dou uma nota 5-sem-regeneração pra ele.
PS: Notaram como quase toda imagem de divulgação ou foto qualquer do filme o Hugh Jackman fica fazendo uma careta, com as garras de fora e olhando para o nada? heheh.

Velozes e Furiosos 4.


Esse eu assisti no mesmo dia do filme do Wolverine. Tava de bem com a vinda, com tempo sobrando e com dinheiro no bolso, heh.
E não é que valeu a pena assistir Velozes e Furiosos 4?
O filme conseque ser emocionante, divertido e tem tudo oque um filme do Velozes e Furiosos deve ter: Carros , um monte de mulher com roupas curtas e aquelas coisas "styles" da vida, heh.

A história? É praticamente uma verdadeira continuação do primeiro filme. Esqueça as porcarias do segundo e do terceiro! Nesse filme o personagem do Vin Diesel está querendo vingança de uns mafiosos por terem matado sua namorada, a personagem da Michelle Rodriguez. Ele acaba tendo a ajuda do, agora agente federal, personagem do Paul Walker.

Sabe oque me deixou intrigado nesse filme? O como o Vin Diesel é imortal! Cara, ele leva um tiro nas costas quando tá no meio de uma briga e nem sente, olha como se fosse a picada de um inseto. Além de dar um golpe de vale-tudo no amigo dele, justamente no lugar onde levou o tiro. É um animal esse bicho! Vin Diesel para Kratos já!!
E outra, já perceberam como as festas nesse filme só tem mulher bonita e não tem nenhum homem? O lado rosa da força deve estar muito grande em Los Angeles. A cidade de São Francisco está no chinelo, heh.

Minha nota? 7 estrelas amarelas para o filme! Ele faz bem seu papel de filme de ação.

Star Trek.

Pra mim essa foi a melhor surpresa do ano!
Fui assistir esse filme sem nenhuma espectativa e sai da sala um trekker! Sério!
Esse foi a maior diversão na sala de cinema que tive por um bom tempo!

A história é meio que uma versão atual dos antigos personagens da série, mas foi contada de um jeito que não exclui o mundo das séries antigas. Sacada genial do J.J. Abrams (sim galera, o mesmo carinha do Lost está nesse filme, heh.).

Lembro que peguei o filme dublado sem querer. E sabe da maior? A dublagem tpa muito boa! Acho que o motivo é por ter a mão de Guilherme Briggs no filme. Ele deve estar na direção de dublagem, além de dublar o novo Spock (que antes era o ator do Sylar, agora só vou chamar de New Spock, heh.).

Mas enfim, esse filme merece uma nota 10!

Um ato de liberdade.

Esse também foi uma surpresa pra mim.
Quando vi a no poster que tinha o Daniel Craig armado, pensei que seria um filme de ação. Bem, o filme tem sua ação (e muita, diga-se de passagem), mas o filme é um drama histórico.

A trama fala sobre um grupo de Judeus que escaparam da ocupaçãp nazista na polônia. E na busca por sobreviver na floresta, acaba formando uma guerrilha.

O legal no filme é que você vê a evolução do acampamento. No começo com poucas pessoas, fracas e famintas, e depois virando quase uma pequena vila com fortificações e uma pequena tropa armada. Mostra também em como os humanos reagem de modo diferente em momentos de crise, como a guerra. Mas no final das contas só queremos mesmo é sobreviver.

Daniel Craig consegue passar a imagem de um lider mesmo. As vezes é até engraçado pois parece mesmo o James Bond em alguns trechos do filme, hehe.
Mas a maior surpresa foi a atuação do Liev Schreiber (O dentes-de-sabre do novo Wolverine). Ele demonstrou uma segurança fenomenal nesse filme.
E outra coisa que chamou atenção no filme é de como as cenas de combate são bem reais. Não é aquela coisa toda falsa que percebemos em vários filmes. Nesse você sente mesmo os tiros!

Minha nota para o filme? Dou 9 peças de sushi pra ele, heh.

Anjos e Demônios.

Não vamos ser aqueles tipos de xiitas chatos que falam:"Aff! Tem nada haver com o livro!".
Adaptação é adaptação e fim de conversa.

Esse filme consegue ser divertido até. Dá uma certa adrenalina a procura pelos cardeais e pelo negócio da anti-matéria lá, heh.
Mas aquele padre, no final, dando uma de Jack Bauer....caraca! Eu cai pra trás naquela cena!
Foi muito bizarro aquilo, hehe. Acho que tem agentes da CTU infiltrado no vaticano, só isso pode explicar, hehe.

Eu sinceramente não li o livro, mas meu amigo que leu disse que tem essa cena nele, heh. Isso me deixou mais chocado.

Mas a nota? Humm...acho que um 5. É legalzinho e tal mas não é uma Brastemp, heh.

domingo, 3 de maio de 2009

"Punho dos Brothers!"

Pois não é que hoje o povo se reuniu para assistir a final do campeonato Cearense que seria televisionado? Bem, pra falar a verdade o povo ia se reunir para jogar Naruto, comer, ficar falando besteira e quem sabe fazer a fita com alguma cocota (ou não, heh.). Mas coincidentemente a final seria hoje, então que seja ela o motivo da reunião, assim teriamos um álibi para usar como desculpa se o barulho encomodasse os vizinhos do prédio.

O dia prometia ser bem divertido, afinal, quando passa Alladin na Tv significa que algo legal vai acontecer. É uma premonição! E foi mesmo bem legal. Tanto na diversão em si quando gastronomicamente falando. Caramba! Se não tivesse comida em casa eu iria me fartar alucinadamente hoje no apartamento do Damasceno, heh.

Sabe que quando um monte de homens reunidos jogando video-game sempre acontece aquele leve hipnotismo da galera em frente da tele da Tv né? Pois não é só os homens que são tentados não, as mulheres também! Cara, é muito estranho ver duas garotas jogando sem nem piscar os olhos e esboçando um leve sorriso por estar aniquilando uma tropa de soldados chineses (Dynasty Warriors, o "exército de um homem só" no mundo dos games, heh.).



Pois bem, o jogo do Ceará X Fortaleza começou. Quem se interessava por ele assistia, quem não gostava ficava conversando ou "Naruteando". Foi justamente nesse espaço de tempo que o "Punho dos Brothers"(Sim, uma piada interna) ganhou força, heh. Pena que o meu time, muito baitinga de ser, perdeu a final para seu maior rival, deixando pessoas desoladas e outras alegres pelo simples fato de poder zoar com a cara dos outros (ahhhhh a amizade...heh).




Hoje foi bem engraçado. Demonstrou que faz bem pra saúde uma reuniãozinha de amigos. Algo que devia ter pelo menos uma vez por més, apesar de ser meio chato ter que arrumar toda sujeira e etc, heh.
E pra fechar com chave de ouro esse dia, nada melhor que escutar a música mais legal do filme Alladin, para essa galera do "punho dos brothers!", heh.

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Lei de Murphy: Sim, ela funciona!




Vocês já perceberam a veracidade dessa lei? Já analisaram como ela consegue ser tão real?
Isso chega a assustar, pode transformar a população em céticos xiitas, heh.

Mas aposto que tem gente agora se perguntando "Oque é Lei de Murphy?". Não se preocupe jovem padawan, eu explico! A lei de Murphy, é simples: Se uma coisa tem chance de dar errado, pode ter certeza que vai dar errado.

O "inventor" dessa lei foi o capitão da Força Aérea americana, Edward Murphy, e também foi a primeira vítima conhecida da dita cuja lei.

Sabe quando você planeja algo para o dia seguinte? Tipo sair com sua namorada no cinema, comer algo por lá e passar bons momentos com ela? E oque acontece é justamente o contrário: pega uma fila imensa no cinema, a comida te fez mal e ainda briga com a garota? Isso meu amigo, é a Lei de Murphy atuando, heh.
Também tem os exemplos clássicos: A fila do lado sempre anda mais rápido que a sua fila e probabilidade de o pão cair com o lado da manteiga virado para baixo é proporcional ao valor do carpete.

Mas antes de se desesperar por estar preso ao mundo do pessimismo e se entregar de vez, não esqueça que pra toda ação há uma reação, ou seja, as "tentivas falhas" que acontecem servem justamente para você ganhar experiência. Ou você acha que os EUA e a URSS se bateriam de frente mesmo depois de ver os estragos que duas guerras causam com o mundo todo?
Tá vendo? Lei de Murphy ajuda de leve, senão estariamos numa terra bem ao estilo Mad Max ou Fallout.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Nunca mais vou beber na minha vida!!



Sério, dessa vez eu nunca mais vou beber! Todas minhas últimas saídas (com exceção do Show do Titãs) eu sempre fico com uma ressaca bem malvada. O pior é sabemos que vai acontecer essa desgraça, mas mesmo assim engolimos o álcool feito o Keith Richards ou o James Hetfield.

Lembro até dos meus últimos porres homéricos. Vou citar alguns casos meus pra esse povo da nova geração que lê o Grimório (ou não...) perceba o quanto uma ressaca é foda de ruim.

Teve um que aconteceu meio que sem querer. Estava planejando fazer uma maratona de Dexter em casa quando voltar da faculdade, mas descobrimos que ia acontecer uma calourada. Eu, inocente que sou, fui pensando que só ia passar alguns minutos, ver se achava alguma cocota e ia pra casa. Mas foi bem diferente do planejado: passei a madrugada toda bebendo vinho com o povo da faculdade, isso foi legal, o problema mesmo é a ressaca no dia seguinte: passei o dia todo vomitando rosa!

Dois dias, nem deu pra descansar direito do porre de vinho, meus amigos resolveram fazer uma festa surpresa para meu aniversário. Secamos dois litros de cachaça e depois um de Whisky (o gosto de madeira até hoje me dá enjôo). E nesse dia ainda fugimos de um Leão de chacara. Só não vou dizer aonde foi pra não queimar ainda mais meu filme. O dia seguinte não conseguia me sentir bem de jeito nenhum: deitado o mundo rodava e em pé eu queria cair. Além do gostinho ruim de madeira...argh!

Pois é leitores, não estou tentando pregar nada aqui, só mostrando como a ressaca é aquela sensação horrível. Nunca mais vou beber!!
Nota: Essa foi a décima vez que eu digo "nunca mais vou beber". Meio que não adiantou nada...